Câmara Municipal debate com a Comunidade sobre o Transporte Coletivo de Paraíso

Com o objetivo de ouvir a comunidade e buscar soluções para melhorias no transporte público urbano de Paraíso, a Câmara Municipal promoveu na manhã desta terça-feira, dia 14, com início às 9h, Audiência Pública para debater sobre o tema.

Tramitando atualmente nas comissões da Câmara o Projeto de Lei do Executivo que propõe a revisão da tarifa de transporte coletivo na cidade, a Audiência atraiu um grande número de participantes, em sua maioria composta por estudantes.

Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da casa, Vereador JC (PMDB) e contou com a participação das vereadoras Josefa Araújo (PMDB) e Vanessa Alencar Pinto (DEM) e dos vereadores Adriano Moraes (PPS), Ataíde Rodrigues (PDT), Marcílio Pedreiro (PMDB), Whisllan Maciel (PSDB), Professor Deley (PSC) e Paulo Sérgio Diniz (PSC). Também participaram do debate o Secretário Municipal de Infraestrutura, Leonardo Soares, que na oportunidade representou o Prefeito Moisés Avelino, além do Presidente da ACIP, Roberto Maia, do Diretor do Campus de Paraíso do IFTO, Prof. Doutor Antônio da Luz Júnior, os proprietário da Vereda Transportes, Marceli Tavares e Nilza Tavares e representantes da comunidade.

Na oportunidade os usuários fizeram uso da tribuna e apontaram problemas estruturais no modo em que está sendo oferecido o serviço em Paraíso, dentre estes: a situação física dos ônibus utilizados; poucas alternativas de horários na linha que contempla o IFTO; alguns atrasos em horários, falta de melhorias nos pontos de ônibus, dentre outras.

 

Após ouvirem as reivindicações, os proprietários da empresa responsável pelo transporte coletivo, apresentou uma planilha de custos da empresa, que de acordo com a mesma, a empresa precisa de que mudanças sejam realizadas pelo poder público, a começar pela mudança na tarifa, para que melhorias sejam realizadas, pois de acordo com os proprietários, em 13 anos de atuação da empresa em Paraíso, a tarifa foi reajustada apenas em duas ocasiões, sendo a última em 2015.

 

Marceli Tavares disse ainda que muitos benefícios são concedidos pelo Poder Público, através de leis, como isenção de taxas para idosos acima dos 60 anos e a meia tarifa para estudantes e que a empresa não recebe nenhum tipo de reembolso ou incentivo fiscal por isso, fazendo com que os custos aumentam significativamente.

 

Diferentes propostas foram apresentadas na Audiência, dentre estas, que seja oferecida uma contrapartida pelo executivo municipal, através de isenção fiscal ou repasses pelos benefícios concedidos pela empresa; melhorias nos pontos de ônibus, através de parceria público-privada e que se realizem análises técnicas sobre os custos da empresa, para se ter dados concretos sobre a situação financeira e os lucros, antes de ser votado o reajuste da tarifa. Outra proposta discutida foi a passibilidade de implantação de uma linha de ônibus exclusiva para o IFTO, que fosse a parte do transporte coletivo urbano, já existente. Os vereadores também propuseram a criação de uma Comissão Especial, envolvendo parlamentares da atual Comissão de Mobilidade Urbana da Câmara e representantes dos usuários e das entidades envolvidas.

 

Esta é a terceira Audiência Pública promovida pela Câmara de Vereadores em 2017, a primeira debateu sobre a Segurança Pública e a segunda sobre Serviço e Taxas de Água e Esgoto. De acordo com o Presidente JC, a Câmara vem cumprindo seu papel de mediar assuntos relevantes para a sociedade: “Estamos trabalhando e queremos buscar soluções para que todos possam ganhar, tanto os usuários, quanto os empresários e que este que é um serviço de grande importância tenha melhorias”, ressalta JC.

 

Texto: Fernando Rios / Fotos: Claudeci Campos

Publicado em 14/11/2017 às 11:25