Prefeitura Municipal de Augustinópolis
conteúdo do menu

Prefeitura Municipal de Augustinópolis

conteúdo principal
conteúdo principal

Notícia

Preocupado com a situação das empresas e dos trabalhadores augustinopolinos, e seguindo as mesmas atitudes de outros gestores no Tocantins e no Brasil, o prefeito de Augustinópolis, Júlio Oliveira, convocou, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, reunião do Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19 para tratar especificamente no que tange à abertura e funcionamento do comércio local.

A reunião aconteceu na manhã desta sexta-feira, 27, no prédio do Centro Vocacional Tecnológico (CVT) e as discussões principais giraram em torno da prevenção e do impacto econômico na vida social dos funcionários, assim como do empresariado em manter suas empresas fechadas em razão da pandemia. Em especial, foi citada a restrição em trabalhar dos feirantes, autônomos e diaristas.

Ficou a cargo dos secretários, em especial do secretário de Administração, Paulo Esse, coordenar e controlar as medidas econômicas durante a pandemia do coronavírus, incluindo a análise de cada setor e categoria profissional sobre a flexibilização da abertura do comércio e o que deve acontecer a partir disso.

Paulo Esse explicou aos presentes que compete ao comitê realizar reuniões a qualquer momento e explanações para o esclarecimento de ações; adotar medidas necessárias com o objetivo de cumprir os decretos municipais de prevenção e combate ao contágio do coronavírus, entre outros pontos.

O Edital com as novas regras deverá ser publicado na próxima segunda-feira, dia 30, devendo durar uma semana para análise das condutas no comércio e evolução da pandemia no país, principalmente na cidade de Augustinópolis.

OBSERVAÇÕES

Após dizer que a situação é muito preocupante em nível mundial, o prefeito Júlio Oliveira citou os mais recentes números divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, que apontam 35 monitorados, 15 investigados, 01 suspeito, 0 descartado e 0 confirmados.

O prefeito frisou: “Isso nos deixa muito preocupados, uma vez que nem nós nem o Hospital Regional de Augustinópolis tem estrutura para atender uma possível demanda de casos de Covid-19 em Augustinópolis e principalmente na região”.

Por sua vez, o secretário municipal de Saúde, Gedeão Filho, garantiu que todas as Unidades Básicas de Saúde estão funcionando plenamente, mas que para evitar aglomerações e não expor os idosos, estes estão sendo vacinados contra a gripe em suas residências.

Fernando Mendonça, proprietário da Lojas Mendonça, pontuou que muitos empresários já estão pedindo socorro. “Precisamos buscar alternativas”, pediu, e no fim da reunião disse: “Tomadas as devidas precauções, foi importante o Comitê ouvir o empresariado e deliberar a favor de uma alternativa para que todos possamos enfrentar a situação com o mínimo de danos para cada segmento ou profissional”.

 “O Brasil foi alcançado pela pandemia do coronavírus e as ações relacionadas à saúde se tornaram mais prioritárias”, assentou o promotor de justiça da 2ª Promotoria de Justiça de Augustinópolis, Dr. Paulo Sérgio Almeida, na Ação Civil Pública contra o estado, na qual ele requer “reformas e melhorias no Hospital Regional de Augustinópolis”.

O promotor ainda lamentou que, com a “inércia do secretário de estado da Administração em descumprir o restabelecimento do funcionamento do Hospital Regional de Augustinópolis, a população carente é a mais prejudicada em uma eventual necessidade de tratamento da Covid-19”.

Participaram da reunião o presidente em exercício da Câmara Municipal, Elias Madeira; o capitão Costa Abreu, comandante de 2ª Cia de Polícia Militar; Ivy Karla, coordenadora do Controle de Infecção Hospitalar; Francisca Baym, gerente da Vigilância Epidemiológica Municipal; a representante da OAB, advogada Ritheli Madeira, além de secretários municipais, entre outros representantes da sociedade.

GALERIA DE FOTOS